Germinar na Bio Brazil Fair

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Quinua, comida viva e espirulina (B12)

Perigo nos Andes
A raposa vinha descendo do céu, quando os papagaios arrebentaram, a bicada, a corda pela qual ela deslizava.
A raposa se espatifou contra os altos picos da cordilheira dos Andes e, ao se espatifar, espalhou a quinua que trazia na barriga, roubada dos festejos celestes.
Assim, a comida dos deuses foi semeada no mundo.
Desde aquela época, a quinua vive em terras muito altas, onde só ela é capaz de agüentar a aridez e o frio.
O mercado mundial jamais prestou a menor atenção a essa desprezível comida de índio, até que se soube que o minúsculo grãozinho, capaz de crescer onde nada cresce, é um alimento muito bom, não engorda e evita algumas doenças. Em 1994, a quinua foi patenteada por dois pesquisadores da Colorado State University (US Patent 5304718).
Desatou-se, então, a fúria dos camponeses. Os patenteadores asseguraram que não iam usar seu direito legal de proibir o cultivo, nem cobrar nada por isso, mas os camponeses, indígenas bolivianos, responderam:
- Não precisamos que venha nenhum professor dos Estados Unidos nos doar o que é nosso.
Quatro anos mais tarde, o escândalo universal obrigou a Colorado State University a renunciar à patente.
Eduardo Galeano, Espelhos – uma história quase universal, L&PM Editores, 2008, página 323

Vitamina energética de viagem
2 bananas bem maduras
4 copos de água de coco
1 colher de sopa de espirulina* em pó (fonte de B12)
1 colher de sopa de linhaça germinada
2 polpas de dois cocos verdes
Bater tudo e tomar em seguida
Pode usar uns gelinhos para contrabalancear o aquecimento do liquidificador.
http://www.comidavivaecologica.ning.com/

* Espirulina
Contém mais nutrientes que qualquer alimento conhecido. Enquanto se investigam novos alimentos e plantas para melhorar a qualidade e prolongar o tempo de vida, esta alga coloca-se na vanguarda da revolução nutricional.
A espirulina, nome comercial desta espécie, constituiu, desde sempre, uma fonte suplementar na alimentação das populações que habitavam nas proximidades de lagos. De fato, sabe-se que os Astecas consumiam espirulina sob a forma de caldo, que era adicionado a tudo o que comiam; o mesmo ocorreu no Norte de África, no seio de algumas tribos indígenas.
Somente há cerca de 30 anos é que a espirulina foi redescoberta pelos cientistas, vindo a ser utilizada de modo seguro e eficaz como suplemento nutricional nos últimos 20 anos. Países como o Japão, França e EUA consideram a Arthrospira platensis uma das maiores descobertas no campo da alimentação naturista, do último século.
Arthrospira platensis é uma cianobactéria microscópica de forma espiralada, normalmente denominada de microalga azul, por conter pigmentos azuis, as ficocianinas, que lhe conferem a sua cor azul-esverdeada. Possui ainda outros pigmentos como a clorofilina, de cor verde e os carotenóides, de cor laranja, que lhe permitem realizar fotossíntese em vários comprimentos de onda do espectro solar. Da sua ancestral atividade fotossintética, que remonta a 3.6 bilhões de anos atrás, resultou a atual atmosfera rica em oxigênio, favorável à sobrevivência das espécies vegetais e animais. Sendo uma forma de vida extremamente adaptável, ocorre numa ampla variedade de ambientes aquáticos, e em especial, em águas alcalinas, quentes e ricas em minerais, como no Lago Tschad, em África, e no Lago Texcoco, no México.
Suplemento alimentar completo
Esta microalga oferece 85 a 95 % de proteína vegetal digerível, mais do que qualquer outro alimento conhecido, e contêm todos os aminoácidos essenciais, vitaminas, fitonutrientes e minerais em níveis naturais muito elevados, dos quais são exemplo a vitamina B12, o antioxidante betacaroteno, o raro ácido gamalinoleico (GLA), o ferro e a clorofila (purificador do sangue). E ainda fitonutrientes como os sulfolípidos, os polissacáridos e as ficobilinas, que atuam no sistema imunitário, promovendo a saúde das células e, contribuindo, deste modo, para a prevenção do aparecimento de infecções e de doenças auto-imunes, como o cancro. Características que a tornam num suplemento alimentar de evidentes benefícios terapêuticos, completo relativamente aos minerais e vitaminas isolados.
Os suplementos de espirulina são úteis na manutenção da saúde em geral; como forma de obter energia, no caso de carências nutritivas, para limpar e desintoxicar o organismo, prevenir acidentes vasculares e infecções, aliviar os sintomas pré-menstruais, devido ao seu alto teor em ferro, ajudar a controlar o peso, e em dietas de emagrecimento.
Arthrospira platensis contendo fenilalanina atua como supressor do apetite, produzindo uma sensação de saciedade que induz a pessoa a comer menos, auxiliando assim em situações de obesidade, sem a ocorrência de perdas nutricionais.
Os complementos podem ser ingeridos por todos, e especialmente por aqueles que sofrem de má absorção intestinal ou perturbações digestivas, desde as crianças aos idosos. A sua utilização é também aconselhada na dieta dos atletas, uma vez que previne cãibras e a fadiga muscular.
Fonte com grande concentração de vitamina B-12, é ainda útil em casos de regimes alimentares alternativos, caso do vegetarianismo e veganismo. Assim, e devido à sua extraordinária composição proteica, é o complemento ideal para qualquer tipo de dieta, sendo capaz de proporcionar ao organismo importantes substâncias nutritivas, sem sobrecarregá-lo de gorduras ou hidratos de carbono.
Estudos revelam que os nutrientes fornecidos pela espirulina são melhor digeridos e absorvidos do que os suplementos, vitamínicos e minerais, isolados. A experiência dos consumidores de longa data e os dados científicos sugerem que a ingestão de 3 a 10 gramas diárias, geralmente sob a forma de comprimidos e cápsulas, a tomar em qualquer altura, ou em pó a adicionar a alimentos líquidos, constitui uma opção saudável.
Do ponto de vista ecológico, o consumo de espirulina pode reduzir grandemente o desbaste de árvores, evitando a desflorestação para a criação de campos de agricultura e de pastagens para o gado, uma vez que o seu elevado teor protéico é 20 e 200 vezes superior ao da soja e da carne de vaca, respectivamente. Assim, ao incluirmos os complementos de espirulina em nossa alimentação, não estamos só melhorando a nossa saúde, como, também, contribuindo para o bem-estar do planeta.
Nome Comum: Espirulina
Outros Nomes: alga azul, alga-marinha, microalga
Sinônimos: Arthrospira platensis (Nordstedt) Gomont

Espirulina – suplemento nutricional e ecológico
Para além do potencial ecológico, uma vez que surge como uma alternativa saudável à carne, a espirulina é, sobretudo, reconhecida pelas suas principais ações no organismo humano:
• Fortalecimento do sistema imunitário
• Suporte da função cardiovascular e manutenção de níveis adequados de colesterol
• Melhor funcionamento do sistema digestivo e gastrointestinal
• Promoção da limpeza geral do organismo e desintoxicação
• Proteção antioxidante e redução de infecções
Artigo publicado na Performance nº 56
Autor: Dr. Pedro Lôbo do Vale (médico)
http://www.performance.clix.pt

sábado, 23 de janeiro de 2010

Campanha: segunda sem carne




Segunda Sem Carne
SVB - Sociedade Vegetariana Brasileira - Sáb, 23 de Janeiro de 2010


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

domingo, 17 de janeiro de 2010

Direitos humanos e os direitos dos animais

Morte de animal em rodovia foi crime ambiental, diz advogada

Policial foi flagrado ao matar bovino a tiros na BR-040, em Minas Gerais.
Para a Polícia Rodoviária Federal, agente agiu de forma correta.

A advogada e presidente da União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), Vanice Orlandi, disse ao G1 que o agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) desrespeitou leis de proteção animal e cometeu um crime ambiental ao matar a tiros um bovino na BR-040, na região da Grande Belo Horizonte, na quarta- feira (6).
Bois e vacas ficaram espalhados pela pista após um acidente e, segundo a assessoria de imprensa da PRF, o policial teria atirado porque os animais soltos na estrada poderiam provocar mais colisões. O policial teria sido autorizado pelo dono da carga a atirar. Ainda de acordo com o órgão, a ação do policial foi correta, pois ele estaria defendendo a si próprio e a outros motoristas.
Vanice discorda e ressalta que o policial deveria ter acionado órgãos especializados para remover o animal. “Ele dispunha de outros meios para evitar acidentes. Poderia parar o tráfego e acionar o Centro de Controle de Zoonoses, que também está apto a resgatar caprinos, equinos e bovinos”, afirma.



Trabalho escravo
Por ADRIANA GRAGNANI

"Em aproximadamente 14 anos, o Ministério do Trabalho resgatou 36.169 trabalhadores em situação análoga à de escravos. No dia 8 de janeiro, a Folha informou que o BNDES suspendeu os financiamentos à empresa Cosan, do setor da agroindústria, em razão de terem sido localizados em seus empreendimentos trabalhadores nessa abjeta situação. Ainda, no mesmo dia, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, teceu críticas ao Plano Nacional de Direitos Humanos, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, por considerá-lo preconceituoso com o setor da agroindústria. Cinde, o servidor público, as políticas de sua pasta e a realidade nacional. Eu, como cidadã, estou muito contente com o ministro Vannuchi, que apresentou um plano abrangente e diversificado de ações que visam a garantia da dignidade da pessoa humana. Eu, como brasileira, estou feliz porque esse plano contempla a possibilidade de conhecermos nossa história e, conhecendo-a, aumentar as condições para a consolidação de um Estado democrático no Brasil."
Publicado no jornal Folha de S.Paulo
Sexta-feira, 15 de janeiro de 2010
Painel do Leitor

domingo, 10 de janeiro de 2010

MURUMURU (MURU-MURU_ (Astrocaryum murumurú, Arecaceae)

Luiz Roberto Morais

ÉPOCA DE COLHEITA
Baixa Estação: janeiro e maio
Alta estação: fevereiro, março e abril
Entresafra: junho a dezembro

DADOS FÍSICO-QUÍMICOS E COMPOSIÇÃO GRAXA
A manteiga de murumuru é uma gordura in natura, rica em ácidos láurico, mirístico e oléico. O fruto contém uma gordura branca, inodora e sem gosto especial com a vantagem de não rançar facilmente, pois é rica em ácidos graxos saturados de cadeia curta como os ácidos láurico e mirístico. A qualidade desta gordura, não é muito diferente da gordura da amêndoa do tucumã, do dendê e do coco, porém ela tem a vantagem de apresentar maior consistência por causa de seu ponto de fusão (32,5ºC), que é superior á do dendê (25ºC) e do coco (22,7ºC). A qualidade desse óleo possibilita a mistura com outras gorduras vegetais que derretem a temperatura mais baixa. Ela pode também entrar no preparo de um substituto parcial da manteiga de cacau, na fabricação do chocolate proporcionando ao chocolate uma consistência mais firme em locais com temperatura mais elevada.
A gordura do murumuru tem a grande vantagem de possuir baixa acidez (4 a 5 %), especialmente quando preparada com amêndoas frescas, o que diminui os custos de refinamento.
O uso do óleo de murumuru traz inúmeras vantagens para a pele e os cabelos. A manteiga de murumuru é altamente nutritiva, emoliente e hidratante ao cabelo e possibilita a recuperação da umidade e elasticidade natural da pele. A manteiga do murumuru é utilizada em pequenas proporções em xampus (0,5% até 1%) e em formulações de condicionadores, cremes e loções hidratantes, sabonetes, batons e desodorantes (0,5% até 8%).

ECOLOGIA
A palmeira murumuru (Astrocaryum murumuru) é abundante na região amazônica brasiliera estendendo-se até a fronteira com a Bolívia e Peru. Ela cresce de preferência em áreas periodicamente alagadas, especialmente nas ilhas e terrenos baixos a beira dos rios, em todo o estuário do Rio Amazonas e seus afluentes, em formações florestais densas ou semi-abertas. É também encontrado com freqüência nas terras de várzea da Ilha de Marajó. O tronco, as folhas e o cacho de frutas são recobertos de espinhos de cor preta, são duros, resistentes e no tronco podem alcançar mais de 20 cm de comprimento, o que torna penosa a colheita deste fruto.
Quando o fruto está maduro, o cacho cai inteiro ao chão. O fruto é coberto por uma polpa amarela, que é bastante apreciada como alimento pelos animais roedores, que deixa o caroço limpo. O caroço contém uma casca lenhosa e somente em estado seco é possível de separar a casca da amêndoa. Em geral, 100 kg de caroços secos (12 – 15% de umidade) rendem entre 27 a 29 kg de amêndoas, que devem ser submetidas a um processo de secagem para alcançar 5 a 6% de umidade para evitar a deterioração durante o armazenamento. Da amêndoa podem ser obtidos 40 a 42 % de óleo. Um pé de murumuru produz cerca de 11 kg de caroço seco e através de extração hidráulica o rendimento de óleo pode chegar até 35% do peso seco da amêndoa, equivalendo a cerca de 3,8 ltr por pé de murumuru. Antes da extração hidráulica, devido à dureza das sementes, haveria a necessidade de moagem preliminar, realizada através do uso de moinhos de discos, fortes e resistentes.
Um quilograma de frutos despolpados contém aproximadamente 50 caroços. A germinação das sementes é moderada e o crescimento no campo é lento.

REFERÊNCIAS UTILIZADAS
PESCE, C.: Oleaginosas da Amazônia, 1941, Oficinas Gráficas da Revista Veterinária, Belém/PA
MORAIS, L. R. Banco de Dados Sobre Espécies Oleaginosas da Amazônia, não-publicado
PINTO, G.P.; Características físico-químicas e outras informações sobre as principais oleaginosas do Brasil. Recife: Instituto de Pesquisas e Experimentação Agropecuárias do Nordeste, Boletim Técnico18, 1963.
http://www.amazonoil.com.br

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Experiências em animais

"Quando sou questionado por que gasto tanto do meu tempo e dinheiro falando sobre os animais, quando existe tanta crueldade com os homens respondo: estou trabalhando na raiz do problema."
George Angel, fundador da SPCA EUA

Pode ser enquadrado como crime federal
O uso de animais no Brasil é proibido em estabelecimentos de ensino secundário desde 1979. O uso de animais em estabelecimentos de ensino superior contraria a legislação, especificamente a Lei de Crimes Ambientais, que declara, nos Crimes Contra o Meio Ambiente (Capítulo V):
Art. 32 – Praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.
§1. – Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§2. – A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

O bem
A 1Rnet oferece apoio prático aos professores para a substituição do uso prejudicial de animais, através de métodos substitutivos diversos: http://www.1rnet.org
O Instituto Nina Rosa promove e valoriza a vida animal por meio da educação humanitária: www.institutoninarosa.org.br

O mal
Algumas empresas e instituições que “em nome da ciência” lucram com o sofrimento de animais:
O Colégio Brasileiro de Experimentação Animal (Cobea): http://www.cobea.org.br – empresas que “alimentam” a crueldade desta ONG:
– Equipamentos
ABH Comércio e Serviços: http://www.abh.com.br (não está entrando na internet);
Alesco Indústria e Comércio Ltda: www.alesco.ind.br
Allentown Inc: www.allentowninc.com
Alternative Design Manufacturing & Supply, Inc.: www.altdesign.com
Atlas Copco Ltda: www.atlascopco.com.br
AVS Projetos: www.avsprojetos.com.br
Baumer SA: www.baumer.com.br
Cherem: (não indica página na internet)
Cisa: www.cisabrasile.com.br
Filtracom: www.filtracom.com.br
Insight: www.insightltda.com.br
Microblau: www.microblau.com.br
Nitrosemen: (não indica página na internet)
Ortosintese: www.ortosintese.com.br
Ourofino: www.ourofino.com
Panlab: www.panlab.com
Pensalab: (não indica página na internet)
Spectrun: www.spectrun.com.br
STEQ: www.steq.com.br
Taimin: www.talmin.com.br
Tecniplast: www.tecniplast.it
Vestige: www.vestige.com.br
Vidy: www.vidy.com.br
– Higienização
Alsco: www.alsco.com.br
Atmosfera: www.atmosfera.com.br
Berkshire: www.berkshire.com
Incinera: www.incinera.com.br
MPW: www.mpw.com.br
S&S Lavanderia Industrial: www.ssindustrial.com.br
– Instalações
Asmontec: www.asmontec.com.br
Engefarma: www.engefarma.com.br
Neuluft: www.neuluft.com.br
Nova Opção: (não indica página na internet)
Pharmaplan: www.pharmaplan.com.br
– Nutrição
Nutricol: www.nutricolalimentos.com.br
Nuvital: www.nuvital.com.br
– Produtos
Alem Mar: www.alemmar.com.br
Alesco: www.alesco.ind.br
Beira Mar: www.beira-mar.com
Celta Brasil: www.celtabrasil.com.br
Grupo Vidy: www.filtracom.com.br
Hemo In: www.hemoin.com.br
Instrulab: www.instrulab.com.br
IWT (empresa do Grupo Tecniplast): www.iwtsrl.com
Sogorb: http://sogorb.com.br/ (não está entrando na internet)
Tecniplast: www.tecniplast.it
Lab Products: www.labproductsinc.com/

Curso de alimentação vegetariana



http://www.portaleducacao.com.br/nutricao/cursos/419/curso-de-alimentacao-vegetariana?_kk=alimenta%C3%A7%C3%A3o%20vegetariana&_kt=b1e5f166-400f-4b5b-beaa-9f57f791a794&gclid=COXb763ug58CFcoe7godVgsUPQ